Para o Peteleco e todos os outros

Olha, um cão

A luz amarela dos postes

Intercala seus semblantes

Entre a sombra

E a cauda que lhe entrega a euforia

Sob o amarelo ele para

Coça o pescoço, a orelha e a própria pata

Sobem as orelhas.

Observa e escuta.

Caminha até a esquina

E segue em direção ao mar,

Dobrando a rua.

Não sei o que ele pensa ou sente,

Mas ele está lá fora e eu aqui, pensando

Mais distante do mar do que ele.

I write when I feel I should and I wanted a space to leave it all before the end. I was born in Brazil, in 1990.